Especialista do H. Olhos alerta para cuidados no uso do Latisse

A procura pelo Latisse, produto que faz os cílios crescerem, ficarem mais espessos e até escuros não para de crescer. Porém, oftalmologistas alertam que seu uso deve ser prescrito e acompanhado por um médico, de modo a evitar problemas como: vermelhidão dos olhos, prurido (coceira) no local da aplicação, irritação ocular e olhos secos. 

Recém aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o Latisse tem como principio ativo o bimatoprosta, o mesmo encontrado em colírios utilizados no tratamento de glaucoma. Alguns médicos perceberam que os cílios cresciam em pacientes que usavam esses colírios e a partir daí o laboratório Allergan adaptou o produto para fins estéticos. 

Segundo profissionais de oftalmologia do H. Olhos, a aplicação deve ser feita com muito cuidado nos cílios superiores, pois em contato com a pele da pálpebra inferior pode provocar manchas. Além disso, pessoas com inflamações crônicas ou agudas nos olhos, como uveítes, conjuntivites, retinites devem evitar o produto. O mesmo vale para pacientes com história de implante de lente intra-ocular e inflamações na retina, mulheres grávidas e em amamentação. 

Há ainda relatos de crescimento de pelos em locais não desejados, por isso, se a substância entrar em contato por acidente em qualquer parte do corpo que não os cílios, deve ser retirada com água e lenços de papel. 

Os benefícios do tratamento começam a surgir em quatro semanas e o efeito máximo ocorre após três meses de aplicação. Se o uso for descontinuado, os cílios voltam a ser como eram antes. Assim, para manter o efeito obtido, é necessário a manutenção de duas a três vezes por semana.

Fonte: Porta Voz