Contra a dor de cabeça, o melhor tratamento é a prevenção


A dor de cabeça é um mal que, mais cedo ou mais tarde, todo mundo vai sentir. Em geral atribuída ao estresse e às tensões do dia a dia, pode ter as mais variadas razões, desde a ingestão de alimentos que desencadeiam a enxaqueca até problemas de visão, como o astigmatismo (visão embaralhada).

A Sociedade Internacional de Cefaleia reconhece a existência de mais de 150 tipos diferentes de dor de cabeça, sendo as mais comuns a enxaqueca e a dor de cabeça do tipo tensional (causada por tensão muscular). Estas atingem 15,2% e 13% da população nacional, respectivamente, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCe).

Muitos dos que sofrem com as dores passam anos sem buscar ajuda. Mas hoje já existem no mercado vários tratamentos que evitam novas crises. Segundo a SBCe, eles podem ser com ou sem remédios, e todos têm a mesma faixa de resposta terapêutica: em cerca de 50% das pessoas, as dores de cabeça fortes reduzem sua intensidade pela metade. O principal é o tratamento preventivo, para evitar que venham as crises.

Por isso, sempre que a cefaleia torna-se frequente, é importante procurar um médico. Abaixo, alguns mitos e verdades sobre dor de cabeça e sua prevenção:

Enxaqueca e cefaleia são sinônimos. 
MITO: cefaleia é o nome que se dá a qualquer tipo de dor de cabeça. Já a enxaqueca é uma doença neurológica e genética que pode ou não causar dor de cabeça. Quando causa, as características da dor são peculiares. A dor é descrita como latejante e unilateral e os pacientes costumam apresentar outros sintomas durante a crise, como sensibilidade à luz e ao som, intolerância a odores, náuseas e vômito

Problemas de visão podem dar dor de cabeça? 
VERDADE: e são motivo frequente de consultas, principalmente em crianças. Problemas relacionados à refração, como a hipermetropia, levam a pessoa a fazer um grande esforço para enxergar e podem dar dor de cabeça. O astigmatismo, pela dificuldade de focalizar e enxergar nítido, é outra causa frequente de dor de cabeça. Já a insuficiência de convergência (dificuldade de ambos os olhos de acompanhar um objeto próximo), comum em crianças, pode causar dor de cabeça quando a pessoa é forçada, por exemplo, a estudar por longos períodos. Há ainda o glaucoma, que muitas vezes não causa sintoma nenhum, mas quando há aumento súbito da pressão no olho, pode dar dor intensa no olho e ao redor, algo que a pessoa pode entender como dor de cabeça (mesmo não sendo).

Exercícios físicos ajudam a aliviar a dor de cabeça. 
VERDADE: segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, a prática regular de exercícios evita que venham as crises de dor de cabeça, pois o organismo produz endorfinas, regulariza a produção de neurotransmissores e torna-se mais resistente à dor. As cefaleias do tipo tensional (causadas por tensão ou contração dos ombros, pescoço, couro cabeludo e face) são aliviadas pelo exercício, mesmo na hora da dor. Já a atividade física durante uma crise de enxaqueca pode piorá-la.

Estresse, ansiedade, tensão e preocupações causam dor de cabeça. 
VERDADE: eles podem disparar os sistemas de defesa do organismo, como o da dor, segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia. Com isso, podem, eventualmente, causar cefaleia. Mas quando a dor de cabeça começa a ficar frequente, ela deve ser investigada mais a fundo, pois pode ter outras razões além do estresse

Fonte: Uol