Sal e cloro podem agredir os olhos

Mesmo com a chegada do outono vindo por aí, ninguém resiste a um dia isolado de calor, ou aproveita aquele feriadinho para esticar o final de semana na praia... e como já dissemos por aqui algumas vezes, o cuidado com os olhos para estes momentos de lazer devem ser redobrados, pois o sol, a areia, o sal do mar e o cloro são os principais causadores de agressões contra os olhos, podendo fazer o seu passeio terminar antes do previsto.
Na piscina, por exemplo, as chances de contrair uma conjuntivite é grande, quando o caso é de diversas pessoas desconhecidas utilizando o mesmo local. Uma vez que um banhista com a doença entre para nadar, a água parada da piscina favorece a proliferação da bactéria, podendo contagiar os outros usuários. O cloro é utilizado no tratamento da água nas piscinas justamente por matar as bactérias, mas o excesso do produto causa vermelhidão e irritação nos olhos, tanto de quem já estiver infectado como de quem estiver saudável.

A conjuntivite é causada por um vírus ou bactérias que causa diversos sintomas, como olhos avermelhados, dor quando exposto a luz direta, sensação arenosa nos olhos e lacrimejantes, secreções aquosas e pálpebras inchadas. O caso das conjuntivites bacterianas é um pouco mais grave, pois produz uma secreção amarelada, e quando o paciente acorda de manhã, a sensação é de que as pálpebras estão coladas. 

O local mais difícil de evitar tais irritações é a praia. Não tanto pela conjuntivite, mas os olhos não fogem da irritação devido ao sal presente na água do mar, que pode anular as funções fisiológicas da lágrima,  além da areia, que contaminada ou não, em contato com os olhos podem causar grandes estragos. 

O cuidado mais básico e simples é adotar o uso de óculos de mergulho, ou pedir para que o seu oftalmologista de confiança indique um produto adequado como lágrimas artificiais e colírios específicos para lubrificar e hidratar seus olhos. Vale reforçar que o uso desses produtos devem ser prescritos por um médico especializado, como tratamos em nosso post anterior. Se há a necessidade de primeiros cuidados emergenciais até a ida ao médico, compressas com água filtrada e gelada ou soro fisiológico sem conservantes e novo são recomendados para aliviar os sintomas.

Outras medidas básicas para a prevenção é não abrir os olhos debaixo d'água durante o seu lazer, não esfregar os olhos, evitando assim pequenas lesões na superfície ocular, adotar sempre um óculos de sol com as devidas proteções necessárias, evitando também que partículas como areia e poeira entre nos olhos, retirar sempre suas lentes de contato antes de entrar no mar ou na piscina, tomar cuidado ao aplicar o protetor solar, evitando aplicá-los nos olhos, fique longe das praias impróprias para banho ou de piscinas sujas, e o principal de tudo, que a sua pele também agradece, evite a exposição abusiva ao sol entre as 11h e as 16h, evitando queimaduras nas pálpebras.