A diferença entre terçol e calázio

Você sabia que nem todas as lesões na pálpebra são consideradas terçóis? Isso porque há duas maneiras diferentes de infecções que as diferenciam: o calázio, quando a inflamação na glândula Meibômio não depende de uma bactéria, e o terçol (ou hordéolo), quando há inflamação bacteriana nas glândulas Zeis e Mol. 
Os sintomas, como a dor, rubor e calor e desaparecem espontaneamente. A região comumente afetada em ambos os casos é a borda da pálpebra, bem próximo aos cílios.
O calázio pode ser diagnosticado quando, mesmo depois de controlado (costuma-se desaparecer em dois ou três dias, assim como o terçol), a lesão permanece na pálpebra como um glanuloma: ele aumenta de tamanho porque, diferente do terçol, a secreção produzida pela irritação não é eliminada naturalmente. Casos constantes da doença podem ser vestígios de uma refração ocular.

Para aliviar o incômodo, basta fazer compressas no local afetado, mas se o caso for mais grave, principalmente no caso dos idosos ( pois a irrigação da pálpebra é muito rica e a infecção pode disseminar-se), o oftalmologista indicará um colírio ou pomada apropriado para o caso. No caso do calázio, medicamentos com corticoides e antibióticos devem ser evitados.

Cuidados muito simples podem evitar o surgimento dessas irritações:
  • Lave sempre as mãos e evite a fricção dos olhos para não transmitir vírus e bactérias;
  • A compressa com tecido morno pode evitar que uma simples irritação se transforme em terçol ou calázio;
  • Visitas regulares ao oftalmologista ajudam a diagnosticar problemas de refração, evitando assim o surgimento constante de calázios;
  • Cuidados com a higiene da pele com shampoos de pH neutro, conhecidos como shampoos de bebês funcionam como detergente (principalmente na região dos olhos), evitando assim a oleosidade excessiva, que bloqueia a secreção nas lesões da pálpebra.
Lembre-se que a melhor saída para qualquer tipo de problema ocular é a visita ao oftalmologista.