As mensagens transmitidas por nossa pupila

Você sabia que a pupila pode transparecer seus sentimentos mais verdadeiros? Isso acontece porque ela transmite mensagens do nosso cérebro, e seu tamanho muda de acordo com o que estamos pensando ou sentindo, ou até mesmo pode denunciar dores e transtornos psicológicos. 

Os cientistas Eckhard Hess e James Polt descobriram em um estudo que a pupila tende a aumentar sempre que pensamos muito, como quando tentamos resgatar algum conhecimento já adquirido e perdido na nossa memória por anos. Durante os testes realizados pode-se averiguar que quanto mais o voluntário se deparava com tarefas mais complicadas, maior a pupila ficava. O inverso acontece quando um assunto é muito difícil de ser explicado, por exemplo. Quanto maior sobrecarga no cérebro, maior possibilidade da pupila encolher. 

O interesse à um assunto também pode ser demonstrado com a mudança da pupila: quando dilatadas é porque o tema está interessante, e diminuídas quando o caso é oposto. A mesma reação acontece com a excitação, relacionada a ansiedade e também ao prazer. Sentimentos como a decepção ou o desgosto promovem a diminuição e o choque a dilatação do órgão. 

Além desses sentimentos, é possível descobrir quando a pessoa é liberal ou conservadora com um simples teste. Basta apresentar fotos de políticos de diversos partidos e ideologias, assim como ícones da mídia com a mesma característica: quanto maior a afinidade da pessoa testada com a figura mostrada, maior a pupila fica. Acontece o inverso com quem não exista a afinidade.

Problemas de saúde também podem ser diagnosticados através de reações da pupila. Um simples exame, como projetar uma luz forte nos olhos, mostra quando o paciente possui algum dano cerebral, pois suas pupilas são desiguais, redondas ou apresenta outras reações diferenciadas à luz. A dor também é demonstrada com a dilatação da pupila, e quanto maior ela estiver, maior a dor do paciente. 

Um método utilizado por policiais em ronda é observar a pupila do abordado para averiguar se ele usou drogas: álcool e heroína, por exemplo, encolhem o órgão, e as anfetaminas, LSD e a cocaína dilatam-na.