Fique de olho: doenças respiratórias podem afetar seus olhos

Com o inverno chegando, as doenças respiratórias aumentam a chance de deixar qualquer um com a saúde comprometida, e os olhos, por muitas vezes, acabam sendo prejudicados também. A rinite e a asma, por exemplo, são os principais causadores da alergia ocular, e pode comprometer a visão com uma evolução séria da doença, como a ceratocone. A gripe, o resfriado, sinusite, conjuntivite viral, inflamação conjuntiva e a bronquite, também são causadores de alergia ocular comuns nesta época do ano. Elas costumam triplicar no frio porque as pessoas se aglomeram em lugares fechados e com pouca ventilação, colaborando para a proliferação do vírus responsável pelas doenças citadas. 

Outro responsável pela causa dessas doenças é a baixa umidade do ar, reduzindo as defesas naturais do organismo e ressecando as mucosas e o canal lacrimal, responsável por proteger a superfície dos olhos. O resultado disso é o ressecamento dos olhos associado à gripe ou resfriado, aumentando o risco de contrair conjuntivite. 

As principais vítimas da conjuntivite são as mulheres na melhor idade, bebês e idosos com baixa resistência. As crianças são as que melhor reagem diante à doença, por tomarem diversas vacinas, que proporciona uma melhor resistência à doenças. Os sintomas são notáveis: vermelhidão nos olhos, coceira, pálpebras inchadas, incômodo, ardência, lacrimejamento, aversão à luz, sensação arenosa ao piscar e secreção transparente. É muito importante que o paciente mantenha o afastamento do trabalho, escola ou faculdade durante três ou quatro semana, por ser uma doença contagiosa. Teclados do computador, interruptores de luz, carrinhos de supermercado e balcões de lojas são veículos de contaminação e o álcool não elimina totalmente o vírus destes objetos. Portanto, para evitar o contágio, sempre lave as mãos, principalmente se houve contato com objetos tocados por pessoas que estejam contaminados e o consumo de água, mesmo no inverno, ajuda a hidratar o organismo.

O tratamento é simples: lubrificação intensa e colírios antinflamatórios receitados pelo médico aliviam os sintomas. Compressas geladas e o uso de óculos escuros também aliviam os sintomas. A água boricada deve ser evitada, pois aumenta a irritação nos olhos e pode evoluir para uma alergia. Casos mais graves podem exigir tratamento com corticóide ou aplicação de laser para remover opacidades e membranas conjuntiva.