Seu bebê e os olhos


Você sabia que o bebê, mesmo no útero da mãe, consegue distinguir o escuro e o claro? Depois do nascimento, essa percepção avança para as formas, acompanhando as linhas em que o claro e o escuro se encontram. Mas somente depois de semanas que as cores começam a tomar forma, e a primeira cor a ser percebida é o vermelho. Por isso que brinquedos ou objetos de cores quentes, fortes e cheias de detalhes despertam maior interesse deles.

A decoração do quartinho do bebê tem muita influência no desenvolvimento cerebral e estimulação visual do pequeno. Sua mente cresce e se desenvolve muito rápido durante o primeiro ano de vida, e esses estímulos auxiliam e muito esse desenvolvimento, instigando a curiosidade, a atenção, a memória e o desenvolvimento do sistema nervoso. Todos esses fatores são fundamentais para a auto-imagem positiva da criança, por exemplo. Aplicar cores divertidas nas paredes do quarto, instalar móbiles e enfeites no berço, chocalhos, blocos e bichos de pelúcia como brinquedos exercem total influência nessa etapa. Outras atividades também proporcionam tal exercício, como mostrar formas em preto e branco ou outros contrastes (tabuleiros, alvos, listras e pontos) e a leitura de livros com gravuras, principalmente porque além do bebê prestar atenção na história que está sendo contada, ele vai se maravilhar com as imagens e a sua companhia.

É de suma importância prestar atenção no desenvolvimento gradativo do bebê, e para cada idade, há uma evolução diferente:
  • Recém nascidos enxergam a uma distância de 25 a 30 centímetros aproximadamente, equivalente a distância do rosto da mãe durante a amamentação;
  • Aos 3 meses, passam a seguir objetos em movimentos, como móbiles e brinquedos gráficos, estimulando o desenvolvimento visual;
  • Já aos 6 meses, a retina já está praticamente desenvolvida, permitindo o bebê a enxergar pequenos detalhes e a percepção de distância e profundidade passar a ter uma grande melhora. 
  • Com 1 ano, o bebê já desenvolveu diversas percepções, entre eles, a coordenação dos olhos com as mãos, e podem ser aperfeiçoadas com jogos de pegar/jogar/apontar.
Além dos exercícios, e assim como em todas as fases da vida, é muito importante realizar exames periódicos no bebê. A ida ao pediatra ou ao oftalmologista é essencial logo após o nascimento, e o retorno deve ser feito após 6 meses, assim o médico pode diagnosticar qualquer doença infecciosa, congênita ou hereditária prematuramente, e tratando de forma eficaz sem prejudicar a saúde ocular de seu filho.


Alguns sinais podem ser indícios de algum problema ocular. Fique de olho e procure um especialista caso alguns desses sintomas surgirem:

  • perda aparente de visão;
  • olhos desalinhados após o quarto mês de vida;
  • infecções oculares recorrentes;
  • pálpebras avermelhadas, inchadas ou com crostas;
  • olhos inflamados ou lacrimejantes;
  • esfrega os olhos excessivamente;
  • fecha ou cobre um dos olhos;
  • pisca mais do que o normal;
  • aperta uma pálpebra contra a outra e franze a testa.
Os cuidados devem ser redobrados em casos especiais, como bebês que nascem prematuramente ou com baixo peso, quando a mãe teve problemas de saúde durante a gestação, como a rubéola, doenças venéreas, AIDS ou uso de drogas e álcool. Se há casos na família de problemas oculares, também é necessário ficar atento.