Você sabe o que é ceratocone?

A ceratocone é uma doença não inflamatória, indolor e progressiva, que promove mudanças estruturais na córnea, como a resistência e elasticidade. Sua causa ainda é desconhecida. O órgão fica mais fino e modifica a curvatura normal, de esférica para cônico,  conhecido como distensão corneana. Essa eventualidade promove a acuidade visual devido ao astigmatismo, e os sintomas são visão borrada, imagens fantasmas, fotossensibilidade e durante a noite, surgem 'halos' na visão.

No estágio inicial, os sintomas podem ser confundidos com qualquer refração, e com a progressão a visão acaba por se deteriorar muito rapidamente, prejudicando a visão em todas as distâncias e principalmente a visão noturna. A astenopia e a coceira nos olhos também são sintomas comuns.
Essa doença costuma atingir uma a cada 2000 pessoas no mundo, atingindo principalmente adolescentes e progredindo até os 30 a 45 anos, quando 95% dos casos apresenta estabilidade. 

O diagnóstico é feito com base nas características clínicas, apontados em exames objetivos, como a topografia corneana, e possui diversos graus: I (incipiente), II (moderado), III (alto) IV (avançado e V (extremo). Somente um oftalmologista é capaz de dizer se o caso do paciente é ceratocone ou simplesmente astigmatismo, portanto, é aconselhável a visita periódica a um especialista de confiança.

A popularização da cirurgia refrativa tem contribuído muito para o diagnóstico precoce da doença, pois os exames pré operatórios são bem meticulosos e apontam a ceratocone mesmo em estágios iniciais. Caso o paciente tenha realmente a doença, a cirurgia é cancelada, pois a córnea muito fina impede que a cirurgia a laser seja procedida, evitando assim outros tipos de problemas.

Apesar das causas serem desconhecidas, alguns médicos sugerem que o ceratocone surge por causas genéticas, ambientais ou celulares, como coçar os olhos, rinite alérgica, entre outros, pois são eles os responsáveis também pela afinação da córnea. 
Somente 5% dos casos de progressão apresentam resultados graves, como a necessidade do transplante de córnea, e quando afeta ambos os olhos, a deterioração pode afetar a vida rotineira do paciente, como dirigir, praticar esportes, e outras atividades comuns. 
A correção da doença pode ser feita com lentes corretivas, permitindo que o paciente continue a praticar suas atividades rotineiras. Casos mais graves podem exigir uma cirurgia para a cura total da ceratocone. Quando diagnosticado corretamente, o tratamento pode ser simples e sem prejudicar a rotina do paciente.