Multifocais e bifocais, pt 1 - as lentes de contato

Quem sofre de presbiopia possui três soluções para corrigir esta refração com maior conforto: usar óculos para perto e lentes de contato para longe (ao mesmo tempo), usar lentes de contato de monovisão ou usar lentes de contato multifocais/bifocais. 
Hoje falaremos sobre as lentes de contato bifocais e multifocais, e suas vantagens para quem sofre deste tipo de problema.


As lentes bifocais e as multifocais possuem uma diferença que até seus nomes já se auto explicam: as bifocais possuem duas gradações de grau diferentes e as multifocais possuem várias gradações. Ambas podem ser gelatinosas, rígidas ou gás permeáveis e seu descarte pode ser diário, mensal ou anual. Quem sofre de astigmatismo e presbiopia pode utilizar as lentes de contato multifocais tóricas.

Os modelos descritos possuem 3 tipos diferenciados:

Lentes de contato bifocal alternantes: Funciona como um óculos bifocal convencional, sendo a parte de cima da lente uma 'camada' com o grau de longe, e a 'camada' de baixo com o grau de perto. O movimento dos olhos manuseia os respectivos graus. Este modelo é fabricado somente como rígidas e gás permeáveis.

Lentes de contato multifocais concêntricas: neste modelo os graus de longe e perto se alternam, pois são como anéis que se intercalam. Há ainda um 'anel' ao centro, que pode variar entre perto ou longe, dependendo da escolha do oftalmologista. Alguns preferem incluir um anel central de perto em um olho, e no outro um anel central de longe. Fabricado como rígidas e gelatinosas.

Lentes de contato multifocais esféricas: Neste modelo os graus de perto e de longe se misturam na superfície da lente, e o cérebro separa os graus para manter a visão nítida a qualquer distância. Sua funcionalidade é bem diferente dos óculos multifocais, pois o paciente não precisa mexer os olhos para achar o grau de perto. Fabricada somente como gelatinosa e é a mais procurada, pois proporciona maior conforto e melhor adaptação.

Por falar em adaptação, o paciente precisa entender que todos os modelos exigem uma fase para que seus olhos se acostume com a nova aquisição. O tamanho da pupila, assim como a idade podem fazer com que o médico opte por um modelo que melhor se adeque ao caso. Portanto, confie sempre na escolha do seu oftalmologista, porque só ele saberá ao certo qual é a melhor forma de manter a sua qualidade de vida em dia.