Multifocais e bifocais, pt 2 - óculos multifocais

Como já conferirmos em posts anteriores, em 1785 surgiram os primeiros óculos de grau, e como o próprio Benjamim Franklin (inventor do apetrecho) dizia, a invenção "forma uma única lente por justaposição de duas metades de lentes diferentes: uma para a visão de perto e outra para a visão de longe". Logo, temos uma explicação histórica do que são os famosos óculos bifocais, que só proporcionam nitidez para as duas distâncias fixas, e sua adaptação costuma ser mais desconfortável.

Os óculos multifocais é a combinação desses dois graus (longe e perto) juntos, somando duas lentes em uma única, sem que apresente uma separação nítida de cada uma delas. Isso porque suas transições são graduais e suaves, permitindo que o usuário tenha uma visão nítida em todas as distâncias. 


A adaptação varia muito de pessoa para pessoa, e o grau utilizado pode influenciar muito neste quesito, como o tipo de lente escolhida para colocar na armação. Mas com esforço e uma certa força de vontade, o usuário consegue se acostumar rapidamente com o multifocal, pois vale muito a pena se livrar do troca troca de armações (uma para perto, outra para longe). Fora que os óculos multifocais tendem a ser mais caros do que os habituais, pois pedem por uma armação reforçada e uma lente especial, portanto, escolha bem a ótica que deseja fazê-los e também converse com o oftalmologista sobre suas atividades rotineiras, para que assim ele indique uma combinação adequada para as suas lentes. Mas se você deseja não arriscar logo de imediato, pergunte ao especialista se é possível começar com um óculos intermediário, que funciona como um multifocal, mas com o grau só para médio e curta distância. A adaptação é bem mais rápida e o desconforto é quase inexistente.

Uma dica essencial para a fase de adaptação dos multifocais é tentar e insistir sempre. A desistência logo na primeira tentativa já é um desanimador que impedirá do usuário tentar outras vezes. Isso porque o cérebro precisa interpretar a nova forma que seus olhos trabalharão, e o tempo necessário varia de pessoa para pessoa (e do esforço do paciente também). E como algumas atividades comuns, como dirigir, descer escadas, ler etc se tornarão mais difíceis nessa fase, é necessário evitá-las nos primeiros dias.

Outro fator importante para o novo usuário é lembrar-se que para enxergar com os óculos multifocais é necessário mexer os olhos e não a cabeça. Caso sinta dificuldades em enxergar mesmo assim, certifique-se que a armação está adequadamente posicionada no rosto. Falando em armação, opte pelos modelos maiores, pois os menores (de 14 mm aproximadamente) costumam ter suas lentes adaptadas pela ótica, o que dificulta ainda mais a se acostumar, e consequentemente, fará com que você 'fuja' do campo de visão de suas lentes, olhando por cima dos óculos.