Lentes de contato para ceratocone

Você sabia que existe tipos específicos de lentes de contato para quem sofre de ceratocone, e que elas exercem um papel muito importante para o tratamento da doença? A maioria dos pacientes não possuem uma boa visão com os óculos, pois esse método corrige somente o grau, mas não as irregularidades da córnea. Já as lentes de contato oferecem uma melhor qualidade de vida ao paciente, pois diminuem as distorções da imagem e proporcionam uma visão mais nítida.

Podemos dizer que não existe um tipo de lente de contato ideal para ceratocone de uma forma geral, porque depende muito do tamanho e da localização da doença no centro ou na parte inferior da córnea. Cada paciente deve ser rigorosamente avaliado para averiguar qual o tipo de lente certa para o seu caso, que possa oferecer mais conforto, melhor visão e que evite a evolução da doença. Isso só é possível se a adaptação das lentes escolhidas forem adequadas também, e para chegar à uma conclusão certa, é necessário realizar uma topografia de córnea no paciente.

Avaliando cada tipo de lente:


A lente de contato gelatinosa comum é limitada ao ceratocone, porque assume a mesma curvatura (e irregularidade) da córnea, impedindo que a curvatura se regularize adequadamente. Ao contrário das lentes de contato gelatinosas para ceratocone, que são mais espessas que as lentes comuns e apresentam o desenho de dupla curvatura (curvatura central maior do que a periférica). A qualidade da visão pode não atingir 100%, mas são mais confortáveis e sua adaptação é mais garantida. A desvantagem dela é que seu DK é baixo, impedindo a boa oxigenação da córnea. Portanto, não podem ser utilizadas por muitas horas seguidas.
Para este tipo de caso a melhor opção são as lentes de contato rígidas gás permeáveis, ou as lentes fluorcarbonadas, pois possuem uma superfície regular e rígida, e regularizam a córnea junto com a lágrima acumulada entre a lente e a córnea. Esse modelo costuma ser muito mais incômoda, e quando não há uma boa adaptação com elas, o oftalmologista costuma sugerir a gelatinosa com uso controlado.
As lentes de contato rígidas gás permeáveis específicas para ceratocone são utilizadas em casos moderados e avançados da doença, porque neste caso já não há como regularizar a córnea. Com isso, lentes de contato não específicas podem até saltar dos olhos. 
Há também os modelos LC RGP esférica ou monocurva e a LC RGP assférica, com a curvatura interna da lente igual a toda a superfície (a segunda se diferencia por ter a curva central mais acentuada), e a LG RGP dupla face ou bicurva, como o nome já diz, possui duas curvas bem definidas. Esta se adapta melhor ao ceratocone, pois a curvatura central é mais acentuada e a periférica é mais plana.
As lentes de contato híbridas possuem o centro rígido, que contorna o problema da curvatura, e a periférica é gelatinosa, unindo as vantagens visuais das lentes rígidas e gelatinosas, promovendo um conforto maior, e possibilitando uma melhor adaptação ao usuário.
As lentes de contato esclerais ou semiesclerais eram utilizadas há muitos anos e foram deixadas de lado por um tempo, mas voltaram com força de uns tempos pra cá com algumas adaptações de materiais de melhor qualidade. São ótimas opções para casos avançados e oferecem maior permeabilidade do oxigênio à córnea.

Algumas técnicas também já foram inventadas para melhorar a qualidade de vida de quem sofre de ceratocone. A lente de contato em Piggyback ou em Cavaleiro é um delas e adapta uma combinação de lentes gelatinosa (embaixo) e rígida (por cima), para aliviar o desconforto, melhorar o posicionamento e auxiliar a estabilidade da lente rígida. Essa técnica requer uma tolerância muito grande do paciente e uma boa experiência do médico, e pode oferecer um resultado satisfatório.

É válido ressaltar que a adaptação das lentes é muito necessária para não evoluir o grau da doença. Uma lente mal adaptada pode causar sérios danos, como ceratite, erosão da córnea e até hidropsia. Por isso, é muito importante o acompanhamento de um profissional sério e competente.