Pesquisa aponta que crianças que ficam mais tempo ao ar livre previnem a miopia

Uma equipe formada por pesquisadores australianos retomou as atividades de estudos realizados desde 1993 referente a atividade física das crianças e a miopia. Foi constatado desde o princípio que crianças em fase escolar que realizam tais atividades ao ar livre são menos propensas a desenvolver a patologia, mesmo que tenham herança genética ou se forçam muito a visão.

Cerca de doze estudos foram realizados ao longo desses anos com 16 mil crianças de países europeus, asiáticos, oriente médio e também na Austrália e Estados Unidos para chegar a essa conclusão. A causa específica ainda não foi encontrada, mas algumas pesquisas realizadas em ratos mostram que a luz solar desencadeia a produção de dopamina no cérebro, impedindo assim o crescimento de olhos alongados, como acontece com a miopia.

Os pesquisadores ainda concluíram que atividades que forçam a visão, como a leitura e a escrita, são os maiores causadores da miopia. O computador e a televisão, que muitos acreditam serem os principais responsáveis pela patologia, estão longe de serem os principais vilões, pois o primeiro requer metade da força visual que a leitura exige e o segundo fica em uma distância suficiente para não causar danos.

Como é sabido, olhar para um objeto ou cenário distante é uma ótima forma de descansar a visão, o que soa muito como uma boa razão para os efeitos protetores do tempo ao ar livre, e pensando nisso que algumas instituições de ensino na China e Taiwan também estão analisando se aulas fora da sala podem contribuir com a redução do desenvolvimento da miopia posteriormente.

Uma curiosidade também foi apontada neste estudo: o maior índice de miopia entre crianças foi encontrado nos países asiáticos, - cerca de 80% - mas não significa que isso esteja ligado a raça, pois taxas similares de miopia aparecem em todas as etnias que vivem naquela região, inclusive em pessoas de origem indiana, que são geneticamente mais semelhantes às do Oriente Médio e aos europeus do que as pessoas do Leste Asiático. Em vez disso, os fatores ambientais parecem fazer a diferença.

Também foi constatado que adultos com maior nível de inteligência e crianças com notas mais elevadas são mais propensas à miopia. Apesar de parecer que isso se deve ao fato do maior tempo dedicado ao estudo e leitura, e consequentemente, mais sabedoria, os pesquisadores australianos mostram que essa causa é inconsistente.

Infos: Hypescience