Qual a diferença de Ptose Palpebral e Pseudoptose?

ptose palpebral (a esquerda) e a Pseudoptose (a direita)
A Ptose Palpebral pode parecer desconhecida, mas é mais comum do que se parece. Trata-se de uma queda da pálpebra superior hereditária ou adquirida, que pode comprometer esteticamente o paciente e também diminuir o seu campo de visão, pois pode cobrir de 1 a 2 mm dos olhos.
Se você sente um peso sobre os olhos, mudança na posição da cabeça, dificuldade visual e olho preguiçoso, procure comparar uma foto recente com uma de 10 ou 20 anos atrás para averiguar a diferença. Se notar algo, a melhor solução é procurar um oftalmologista para que ele indique o melhor tratamento para o seu caso.

Há ainda a Ptose Palpebral congênita, que a criança já nasce com a pálpebra caída, causada por uma distrofia muscular ou paralisia do nervo da região afetada. O grau mais sério desta categoria é quando a pálpebra fica abaixo da pupila, comprometendo seriamente a acuidade visual do paciente. Uma cirurgia pode corrigir 100% do problema mesmo se o paciente ainda for um bebê.

A Ptose Palpebral adquirida pode ser involucional ou senil e ocorrem, na maioria dos casos, após os 60 anos de idade, ou em pacientes mais jovem que sofreram traumas ou cirurgias oculares, como miopatias, AVC,  traumatismo craniano, entre outros.

Para ambos os tipos da doença, a correção só é realizada com uma cirurgia, que varia de acordo com a gravidade do problema. O pós operatório é simples e indolor, mas exige cuidados especiais do médico, avaliando cuidadosamente se o fechamento da pálpebra é completo ou não. Se o paciente não conseguir fechar os olhos por completo, é necessário realizar massagens no local ou até mesmo realizar uma nova cirurgia.

Ainda há casos de Pseudoptose, que geralmente são confundidas com a ptose, e ocorrem em qualquer idade, mas com mais frequência em pessoas acima de 50 anos. O excesso de pele promove um aumento de peso nas pálpebras superiores, causando assim a diminuição do campo visual não só superior como lateral. A correção é feita com cirurgia plástica.

Lembre-se que o surgimento de qualquer sintoma, incômodo ou diminuição da acuidade visual é motivo para procurar um médico.