Olho seco x direção

Uma equipe do Quinze-Vingts National Ophthalmology Hospital em Paris, na França resolveu avaliar a performance visual de vinte  pacientes de diferentes idades e sexo que sofrem da síndrome do olho seco . O teste foi realizado em um simulador de automóvel que exibe alvos localizados em diferentes lugares, mas com um aumento progressivo de contraste visual a ser identificado. O objetivo é avaliar o desempenho no volante de quem sofre da doença.

Exames clínicos também foram realizados, além de medidas de série para problemas de alta ordem da córnea, juntamente com um questionário de qualidade de vida relacionada a acuidade visual de cada um. Tudo isso foi comparado ao resultado do teste de direção, incluindo o tempo de resposta e posição dos alvos, e os resultados não foram muito satisfatórios. Grande parte dos voluntários apresentaram dificuldades em situações específicas, como em cruzamentos e rotatórias.

O tempo de resposta correlacionou-se positivamente com o índice de progressão para os problemas de alta ordem da córnea e com os “sintomas” ligados à qualidade de vida. Assim, a degradação das qualidades oculares relacionadas à síndrome do olho seco está associada com deficiência visual durante a condução de veículos, segundo a pesquisa.
Através destes resultados ficou notável o impacto causado nos olhos quando o canal lacrimal não produz o suficiente. Por isso é muito importante realizar exames periódicos para evitar que o pior aconteça, pois quanto antes diagnosticado, mais fácil de se livrar do problema. E lembre-se: nunca se automedique. O uso de colírios e outros produtos sem prescrição médica podem prejudicar mais do que ajudar.