Sintomas da dengue podem afetar a saúde ocular

Segundo o Ministério da Saúde, o aumento inesperado de casos de dengue tem se alastrado pelo país, correspondendo a 90% de mortes, por conta da demora do paciente em buscar atendimento médico. E por postergar o tratamento adequado, distúrbios graves na visão nem sempre são percebidos, mesmo com a dengue clássica, considerada menos perigosa. 

As regiões oculares mais afetadas é a coroide e a retina, pois como o corpo forma anticorpos para tentar combater o vírus, que alteram a corrente sanguínea com queda de plaquetas, o risco de provocar uma hemorragia subconjuntival ou intraocular é enorme. A oclusão vascular também está na lista de riscos à saúde ocular nos casos de dengue, pois os anticorpos são depositados nas paredes internas das artérias e vasos, e consequentemente aumentam o risco de derrame intraocular.
Os casos acima acabam não apresentando nenhum problema visto a olho nu e é detectado somente com exames (por isso a grande necessidade de procurar um médico), diferente da hemorragia subconjuntival, a qual altera o aspecto do olho afetado, deixando toda a parte branca do órgão (chamada de esclera) coberta com sangue. Em caso de visão turva ou dor, é recomendado procurar um oftalmologista com urgência.
Geralmente um dos sintomas da dengue é a visão turva, justamente por afetar a saúde ocular, portanto, é de extrema necessidade realizar o exame de fundo de olho logo após da doença ser diagnosticada para que o tratamento adequado seja iniciado imediatamente, antes que o problema se agrave. 
O tratamento é feito cirurgicamente, através de micro incisões para eliminar o sangramento que provoca a cegueira, irreparável quando atinge a mácula.
Vale ressaltar que fumantes correm um risco maior de hemorragia intraocular nos casos de dengue, pois o cigarro aumenta a obstrução vascular. Diabéticos e portadores de colesterol alto também fazem parte deste grupo de risco, porque possuem aterosclerose.