10 perguntas que os oftalmologistas mais respondem

Sempre reforçamos aqui no blog a importância de visitar um oftalmologista periodicamente, mesmo se não apresentar nenhum problema aparente na visão. E justamente por isso, é necessário sempre conversar com o médico não só para tirar dúvidas, como também para saber como evitar certos tipos de irritações, doenças, etc. Além disso, uma boa conversa franca sempre ajuda o especialista a diagnosticar melhor qualquer tipo de problema futuro. 

E nessas idas e vindas em consultórios, enumeramos as 10 perguntas mais frequentes feitas para os oftalmologistas em consultas periódicas:

- Todo mundo pode usar lentes de contato?
Desde que se tenha responsabilidade para cuidar e usá-las corretamente. Usar lentes de contato exige que a pessoa mantenha a higienização correta sempre, tire-as sempre para dormir e cumpra corretamente a reposição de acordo com a data de validade sugerida por cada fabricante. Mas, é imprescindível o aval do oftalmologista antes de adotar qualquer modelo e marca, pois testes serão realizados, como já dissemos neste post aqui.

- Água boricada e soro fisiológico são recomendados para a higienização dos olhos?
O ideal é usar colírios específicos e prescritos pelo oftalmologista, pois ambos produtos podem, de certa forma, agredir o globo ocular. A água boricada é tóxica e o soro fisiológico, quando usada com muita frequência, pode causar problemas, pois não contém conservantes, e depois de aberto, pode apresentar riscos de contaminação.

- Como sei que o óculos de sol que quero comprar tem o fator de proteção adequado?
Antes de comprar os óculos, é necessário pedir a loja para passar as lentes em um medidor específico que mostra a porcentagem de proteção oferecida. Óculos vendidos em bancas de rua e em lugares não especializados podem não ter fator nenhum de proteção. O mais adequado é procurar sempre uma loja de confiança, e de preferência, com muitas referências no mercado.

- O não uso dos óculos prescritos aumentam o grau e a vista cansada.
Negativo. O grau pode aumentar ou diminuir com ou sem o uso dos óculos, que servem somente para proporcionar ao usuário uma boa acuidade visual. 

- A partir de que idade a pessoa passa a sofrer de vista cansada?
Não existe idade específica, tendo em vista que pessoas de qualquer idade pode sofrer de vista cansada pelo uso excessivo do computador. Muitas vezes as pessoas confundem vista cansada com problemas de refração adquirida no início da terceira idade, e uma coisa não tem nada a ver com a outra.

- Qual a frequência que as pessoas devem ir ao oftalmologista?
Comumente, anualmente, mas depende muito de cada caso. Pessoas com mais de 40 anos e/ou com algum tipo de doença deve fazer visitas menos espaçadas e de acordo com cada caso.

- Como os olhos do bebê devem ser higienizados?
Em hipótese alguma deve se usar qualquer coisa dentro dos olhos do bebê. O órgão ainda está em formação e qualquer manobra errada pode causar problemas sérios à visão da criança; Os olhinhos devem ser limpos somente externamente, nas pálpebras e ao redor dos olhos, com água filtrada ou mineral morna, com gaze ou uma toalha macia. Nada de cotonetes, soros fisiológicos ou água boricada.

- Quando devo levar meu bebê ao oftalmologista?
A partir de um ano de idade. Caso o teste do olhinho ainda na maternidade acusar algum problema, a visita deve ser feita entre os três e seis meses, e a periodicidade vai depender da gravidade do problema.

- Porque minha visão escurece quando levanto rápido?
Este tipo de súbito costuma acontecer quando a pressão cai, e também pode acontecer da pessoa sentir tontura. Mas se o problema persistir, um médico deve ser consultado.

- Visão dupla pode estar relacionado a qual problema?
Diabetes, hipertensão arterial e tireoide estão relacionados a visão dupla, mas o melhor a se fazer quando este problema aparecer subitamente é encaminhar a pessoa para o pronto socorro o quanto antes. Caso o médico não dê nenhum diagnóstico neurológico, um oftalmologista deve ser consultado. Pode ser apenas um problema de refração até um problema com a musculatura extrínseca dos olhos.