Glaucoma pode ter ligação com a obesidade infantil

Um estudo recente realizado no Diskapi Children's Hospital, da Turquia e publicado no Journal of Glaucoma mostra que o sobrepeso pode estar relacionado ao surgimento futuro do glaucoma. Cerca de 10% das 72 crianças obesas que participaram da pesquisa possuíam pressão intraocular elevada, fazendo parte de um grupo de risco, e 18% foram diagnosticada com exoftalmia bilateral (projeção de um ou ambos globos oculares). Todas foram comparadas com um grupo controle e ambos os grupos foram submetidos a uma tonometria de aplanação Goldmann (TAG), a três aferições da pressão arterial e a uma exoftalmometria.


A razão apontada pelo resultado do estudo é a  consequência da produção excessiva de tecido gorduroso atrás do globo ocular, elevando a resistência para a drenagem venosa, e consequentemente aumentando a pressão intraocular. Problemas vasculares também foram apontados como causa, pois a pressão sanguínea consequente do sobrepeso em pequenas artérias e outras alterações em vasos diminuem o fluxo sanguíneo no nervo ótico. Ambos os casos levam a perda progressiva no campo de visão, e costumam apresentar sintomas somente no estágio avançado da doença. Por isso é importante ressaltar a importância da visita periódica ao oftalmologista: quando diagnosticado precocemente, o glaucoma e outras doenças podem ser controlados em tempo e não afetam a acuidade visual.

Apesar da descoberta, os pesquisadores não diagnosticaram sinais ou sintomas de glaucoma nas crianças que participaram do estudo, somente encontraram possíveis fatores de risco, levantando assim uma questão preocupante: é necessário realizar exames constantes em crianças obesas para averiguar a pressão intraocular? É incomum encontrar crianças com PIO tão elevada, a não ser que já tenha sido diagnosticada com glaucoma juvenil, mas a nova geração movida a fast-food pode reverter e agravar este quadro?