Sonia e Anita: enxergando pela primeira vez


Você já conhece a história de Anita e Sonia? Diversas mídias já mostraram o vídeo das irmãs cegas que voltaram a enxergar,  e que se tornou um viral nas redes sociais. Vindas de uma humilde família de plantadores de arroz da zona rural da Índia, seus pais ganham cerca de 17 centavos de dólar por hora trabalhada. Tanto Anita como Sonia sofriam de catarata congênita e nunca tiveram condições de receberem um atendimento médico adequado, até que a 20/20/20, uma organização sem fins lucrativos, proporcionou a ambas (e à sua família), a felicidade de voltarem a enxergar o mundo. Todo o processo foi registrado e resumido em um pouco menos de 5 minutos, tempo suficiente para alertar a importância dos devidos cuidados à saúde ocular, e também de perceber o quão pequenos são os nossos problemas diante desta história.


Antigamente, a principal causa da catarata congênita era a rubéola adquirida pela mãe durante a gestação. O quadro mudou depois do surgimento da vacina entre as mulheres e sua obrigatoriedade, e o número de 50% registrado atualmente em crianças com a doença deve-se ao fato da mutação genética, responsável por codificar o cristalino e sua proteína de forma errada.
A cirurgia para reverter este quadro é rápida e simples, e o pós operatório consiste em usar um óculos para ajudar o paciente a voltar a enxergar. Quanto maior for o tempo para operar a criança, menores são as chances dela desenvolver uma visão normal, pois é necessário um tempo de adaptação para os olhos aprenderem a enxergar. Especialistas suspeitam que a irmã mais velha, operada aos 12 anos, terá uma visão baixa, mas que terá o suficiente para sair da situação de isolamento, e poderá ter uma vida normal como de qualquer criança da sua idade, podendo frequentar a escola e fazer amigos.