123 milhões de dias de trabalho são perdidos por causa de uma doença ocular, aponta estudo

Um estudo apresentado na última edição do European Forum Against Blindness (EFAB), mostra que cerca de 123 milhões de dias de trabalho são perdidos anualmente em onze países participantes do evento por conta de doenças oculares. O grupo formado pela França, Alemanha, Reino Unido, Dinamarca, Itália, Irlanda, Polônia, Eslováquia, Espanha, Suécia e Suíça possui um gasto anual de 32 bilhões de euros para combater a catarata, glaucoma, retinopatia diabética e degeneração macular relacionada à idade.  No total são mais de 860 mil pessoas cegas, 30 milhões portadores de catarata, 3,6 milhões portadores de retinopatia diabética, 4,4 milhões com glaucoma e 2 milhões de vítimas da degeneração macular.

Ian Banks, coordenador do fórum, acredita que a melhor medida a ser tomada é adotar intervenções precoces para mudar este quadro, como triagens para a retinopatia e glaucoma, além de encaminhamento adequado para o tratamento preventivo. Esta iniciativa não só ofereceria melhor saúde ocular para as pessoas, como também diminuiria os custos anuais para tentar curar as doenças. “Nesse grupo, pelo menos uma em cada dez pessoas tem uma dessas quatro doenças oculares. Por isso, o custo-benefício de se investir em prevenção e tratamentos conservadores pode representar muito em termos de cortar custos na ponta, quando não apenas o paciente, mas sua família, seu trabalho e todos à sua volta são diretamente afetados por sua deficiência visual”, afirma Banks.
No Brasil infelizmente este quadro não é diferente. Muitas pessoas não costumam fazer acompanhamento anual com um oftalmologista, e acabam chegando aos 40 ou 50 anos sem saber se sofrerão ou já sofrem com essas doenças ou não. Muitas delas passam desapercebidas durante anos porque seus sinais são mínimos, e quando diagnosticadas, já mudaram drasticamente a qualidade de vida do paciente e exige medidas mais agressivas, como cirurgias e tratamentos intensos. Por isso, sempre repetimos que quanto mais cedo o oftalmologista puder detectar uma doença, maiores as chances de recuperar a saúde ocular em tempo. O médico poderá estudar o histórico de saúde ocular da família do paciente e assim poder prevenir a perda de visão futuramente, pois muitas enfermidades são hereditárias e é muito importante dizer ao profissional como seus parentes enxergam.