O que é narcolepsia?


Você já viu alguém dormindo no meio de uma conversa ou em pé enquanto espera por algo? Apesar de soar um pouco curioso no ambiente social, trata-se de um distúrbio do sono que pode ser confundido muitas vezes com epilepsia: a narcolepsia. Essa doença benigna causa uma sonolência excessiva na pessoa, diferente de quem sofre de insônia, por exemplo. Ela pode dormir bem durante toda a noite, mas pode sofrer um ataque de sono a qualquer momento. 

Outros sintomas da narcolepsia são a cataplexia (perda de força muscular desencadeada por algo, como uma risada, por exemplo) e anormalidades do sono REM (quando os olhos movimentam-se rapidamente durante o sono).
Quem sofre desse mal costuma acordar bem de uma noite de sono e duas horas depois sofrer da sonolência repentina ao longo do dia. Não há previsão de quantos ataques a pessoa pode ter, mas um cochilo de 10 minutos para um narcoléptico é reparador, assim ele consegue mais algumas horinhas de atenção sem sofrer outro ataque. Alguns médicos até aconselham o paciente a tirar alguns momentos do dia para dormir 15 a 20 minutos, para que assim consiga se concentrar em suas atividades.
O diagnóstico da narcolepsia é complicado. Ele pode ser comumente confundido com outros distúrbios, principalmente com a apneia do sono, que só diferencia-se pelo ronco. Outro ponto negativo é que é raro alguém que sofra de privação do sono procurar ajuda médica, pois acreditam que um sono mais prolongado em um final de semana pode compensar as noites mal dormidas dos outros dias. 
O exame realizado chama-se polissonografia, que registra o sono durante a noite inteira, além de um teste das latências múltiplas do sono. Ambos são realizados em um quarto escuro por 20 minutos a cada 2 horas, cinco vezes no dia. Assim é possível verificar como a pessoa dorme e estuda suas atividades cerebrais.
O tratamento é prolongado e feito com medicamentos para controlar as crises de sono, devolvendo a vida normal ao paciente. É muito importante para comprovar às pessoas de seu convívio que ele não sofre de preguiça ou algo do gênero, pois muitos são demitidos de seus trabalhos por conta disso, ou se demitem por vergonha.