Os efeitos colaterais da menopausa na visão



Não é só de ondas de calor, insônia e aumento da ansiedade que vive a mulher na menopausa. Muitos não sabem, mas alguns problemas relacionados à visão também podem surgir decorrentes à esta fase da vida. Já abordamos esse tema por aqui anteriormente mostrando os riscos à visão que a menopausa precoce proporciona, e hoje reforçaremos o assunto mostrando os efeitos para a melhor idade.
A síndrome de olho seco, sensibilidade à luz e coceira nos olhos são os sintomas mais comuns pois as mudanças hormonais podem alterar o filme lacrimal. Os efeitos podem ser minimizados com o uso de colírios específicos indicados por especialistas da área da saúde.
Falando em especialistas, é imprescindível o acompanhamento médico reforçado nesta fase da vida da mulher. Um oftalmologista pode evitar o desenvolvimento de uma doença muito pior: a catarata. Se por conta da idade a doença já é uma possibilidade, com a alteração hormonal é mais arriscado ainda. A alteração da célula do cristalino acontece na menopausa devido a interrupção da circulação do estrogênio, inibindo a produção da proteína necessária para combater naturalmente a doença. O tratamento ainda é controverso e divide opiniões dos médicos: uns acreditam que a reposição hormonal pode ajudar a evitar o desenvolvimento da doença, enquanto outros acreditam que a reposição hormonal aumenta em 18% o risco do desenvolvimento da catarata.
Mas, independente disso, o mais importante mesmo é se cuidar. Se atentar aos sintomas é primordial, como a perda discreta da qualidade visual, o desbotamento e embaçamento das cores, diminuição da acuidade visual noturna, focos de luzes ofuscantes, etc. Se houver mesmo que uma mínima dificuldade em assistir televisão ou ler um livro, por exemplo, é de suma importância procurar um oftalmologista. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maior a probabilidade dela ser aniquilada com 100% de sucesso.